22/04/2016

Existe racismo em Portugal?


Depois de assistir ao novo programa da SIC, "E se fosse consigo?" não podia deixar de vir cá fazer algumas observações.

"Quero frizar que os meus pais não são racistas, mas como é a filha, foi um choque para eles vê-la namorar alguém assim." foram mais ou menos estas as palavras de uma das entrevistadas do programa. Eu tive de ouvir duas vezes para crer no que ela acabara de dizer. Portanto, não são racistas, mas ficaram chocados ao saber que a filha namora um negro? Chocados? Porquê? Tinha o cabelo pintado de amarelo com pintinhas verde alface? Desculpem informar-vos, mas isto é racismo sim, e dos piores. Daqueles bem disfarçados e hipócrita, em que são os primeiros a pagar de moralistas quando vêm um caso de racismo a passar no telejornal, mas perdem a cabeça quando o filho ou a filha lhes aparece em casa com um namorado ou namorada negro.

Algumas pessoas acharam um absurdo a encenação do pai racista na explanada humilhando a filha e o namorado. "Até parece que isto é algo que aconteça cá em Portugal",  "Sencionalistas!", dizem uns. É verdade. Por norma não vemos uma pessoa a gritar "eu não te quero a namorar com um africano!" no meio da rua todos os dias. Mas não deixa de ser uma realidade, só que mais discreta, e eu quero acreditar que foi essa a ideia que quiseram passar no programa. São contra o racismo, desde que o "problema" não lhes bata à porta. Haverá hipocrisia maior?

Outra coisa que me deixou  realmente abalada foram as crianças. Colocam-lhes duas bonecas à frente, uma negra (que foi super dificil de encontrar!) e uma branca. Se não estou em erro, de vinte crianças, apenas cinco, CINCO acharam a boneca negra bonita e boa, 10 acharam-na feia e má (incluindo três negras) e as restantes preferiram a boneca branca. Ver aquele tipo respostas só reflete o tipo de sociedade que temos, e, embora ache que em Portugal o racismo não seja tão evidente e monstruoso como noutros países, ainda há grandes falhas. Eu pergunto-me que princípios e valores andam os adultos (pais, familiares e professores) a passar a estas crianças?

Meninas negras  a negar a própria cor, cabelo e traços... Motivo? Sempre o mesmo, a grande falta de representatividade negra. E o que é isso? É quando se entra numa loja de brinquedos e a esmagadora maioria (se não total) são brinquedos brancos de cabelos loiros (Estamos em 2016, e ainda há dificuldade em encontrar bonecas de cor negra no mercado!). É quando mal nos vemos nos livros, nos contos, nos programas, nas novelas, nos filmes. Como acham que a criança se sente quando não se vê em lado algum? É como se ela não existisse. É como se a cor branca fosse a beleza padrão e a esteticamente aceitável. E a estética negra a naturalmente feia, que precisa ser corrigida.

Conheço bem esse sentimento. Senti-o na pele por uns bons anos da minha infância e pré-adolescência. Cresci a desejar desesperadamente ser mais clara e não ter um cabelo "feio" e "duro". Parece irrelevante, mas a representatividade importa bastante, e, por incrível que pareça, continua a ser uma falha enorme na nossa sociedade. A falta de representatividade também é uma forma de promover o racismo.

E como as críticas ao programa não acabam aqui, houve até quem dissesse que a reportagem não tinha credibilidade, pois só mostravam "um dos lados". Ah, o famoso "racismo inverso". Tenho notícias fresquinhas: Isso não existe. Uma pessoa branca não passa nem metade do que uma pessoa negra vive e revive ao longo da sua vida. Muito, muito dificilmente a capacidade intelectual  de uma pessoa branca será posta em causa como a de uma pessoa negra. Uma pessoa branca não terá os seus cabelos e os seus traços repetidamente ridicularizados. Uma pessoa branca não será vista como criminosa pura e simplesmente pela cor da pele.

Um recado para o NBC: Da próxima vez que for convidado para um programa de TV, tente pesquisar bastante sobre o assunto a ser discutido, para fazer melhor figura. Na reportagem nem se notou tanto, mas a sua prestação no debate foi lastimável. Ideias misturadas, interrupções, observações infundamentadas... Foi, no mínimo, ridículo. E outra: lá porque o senhor não sofreu racismo, (porque sempre teve dinheiro nos bolsos, e nunca viveu num "bairro de lata") isso não significa que deva fechar os olhos e negar a pés juntos que o racismo não existe. Experimente analisar os factos do ponto de vista global, ao invés de olhar só para o seu próprio umbigo. 

Como disse antes, felizmente Portugal é, na minha opinião, um dos países onde o racismo não é tão problemático. Existe, mas de forma mais subtil. Porém não é por isso que deve ser ignorado, banalizado ou inquestionado.

Dou os meus parabéns à SIC pelo ótimo trabalho, mas, pegando num comentário feito na página do programa, deixo a questão: se são assim tão a favor da igualdade racial, porque é que a falta de representatividade negra (e não só, claro) no vosso canal é gigante? Porque não temos negros (e quem diz negros, diz chineses, indianos, etc) a apresentar o telejornal, ou em destaque nas novelas? Já estamos cansados de afirmar que o racismo existe e que deve ser combatido, então e que tal começar a fazer a diferença? É que é inaceitável que em pleno século XXI, 2016, as coisas ainda estejam tão desproporcionais.

Somo todos iguais na teoria, não na prática.

***
Assistam à reportagem aqui.
O que acharam do programa? Qual a vossa opinião sobre racismo? xx 

20 comentários :

  1. Eu acho que não sou racista,digo que acho pois nunca podemos ter 100% a certeza mas,por exemplo, não é por seres negra que eu vou deixar de ler o teu blog,muito pelo contrário, eu adoro o teu blog!
    Na minha opinião também acho que Portugal não tem assim tanto racismos,porém todos os países têm.
    Na parte que toca a representatividade concordo contigo, se existisse mais bonecos negros para as crianças poderem brincar e os negros também terem a hipótese de verem um boneco da sua cor seria uma alegria, já na parte da televisão a TVI tem uma novela que tem negros a representar e como personagem principal e quando vi pela primeira vez achei uma ótima ideia!
    Por um lado acho que o racismo possa tar a diminuir nesse aspeto em Portugal.
    Beijinhos
    Cantinho da tequis
    Facebook Cantinho da tequis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade que a tvi tem uma telemovela em que existem negros como personagens de grande destaque, mas isso acontece apenas porque a telenovela passa-se em Portugal e na Angola, e claro que não iriam pôr actores brancos a fazer papel de angolanos. A Única Mulher foi uma boa iniciativa por dar destaque a outras raças, mas visto a quantidade de pessoas negras que existem em Portugal, nasceram e foram criados cá, é impensável que em séries e telenovelas, só apareçam quase exclusivamente actores brancos, e quando aparecem actores negros, normalmente é para fazerem papel de africanos, ou descendentes de africanos que continuam imensamente apegados à cultura africana. Quando na realidade existem imensos negros "tão portugueses"

      Eliminar
    2. Faço das palavras deste anonimo minhas!

      Eliminar
  2. Gostei bastante do post, diz umas quantas verdades mas sem perder a educação e a postura. Concordo contigo em que a própria sic perde credibilidade a partir do momento em que são vistas poucas pessoas de outras etnias em destaque ou mesmo em pequenas participações no canal e (tal como em todas as estações) os seus papeis são sempre para ridicularizar ou de 'piada'
    o racismo existe e só não vê quem não quer. para alem de que vem de casa.
    Continua assim, excelente post
    beijinhos, jess

    http://girlygirlsthinkpink.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Ainda não vi a reportagem, mas quero muito ver. Mas digo desde já que adorei este post, acho que reflecte bem a realidade portuguesa.

    ResponderEliminar
  4. Falaste tudo. Sabes eu sempre pensei deste assunto, mas realmente sempre tive algum receio de postar e tu conseguiste mesmo tocar nos pontos essênciais.
    Eu ainda não vi a entrevista,mas já estou bem interessa.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. Não vi a reportagem, mas não estou muito preocupada com isso, porque já há artigos suficientes sobre o assunto; o teu é um dos melhores.

    Só vou - e desculpa se vou soar mal por estar a fazê-lo - corrigir-te num aspeto: NÃO há racismo contra brancos, apenas preconceito. Racismo implica, como tu própria disseste, todo um background histórico de opressão e exploração a nível global, coisa que os brancos nunca sofreram em momento nenhum. O povo negro é também o único povo que já sofreu verdadeiro racismo, enquanto os restantes povos oprimidos, apesar de o terem sentido, não foi jamais ao mesmo nível que o povo negro.

    Sim, preconceito contra brancos existe, tanto por parte de negros, como de orientais ou qualquer outro povo. Mas não pode ser considerado racismo, pois é um fenómeno localizado e periódico, e não algo contínuo e global como no caso dos negros.

    A representatividade é importante, a mudança de paradigmas (estéticos, culturais, profissionais, etc) quanto aos povos também, trabalhar em função da interculturalidade (e NÃO da multiculturalidade) é importantíssimo.

    O racismo não é um fenómeno, é mais uma espécie de subcultura. E tal como todas as culturas tóxicas, deve ser eliminada. Espero ainda viver para testemunhar isso.

    Parabéns pelo fabuloso texto, Sandra; como sempre, a sair a caixa, a opinar com consciência e qualidade. <3

    lemaodoce.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo teu comentário Rafaela! A verdade é que esta coisa do racismo inverso ainda me suscita algumas dúvidas, e acho que o teu comentário foi mesmo conveniente e vai ajudar-me com o próximo post. Obrigada ❤

      Eliminar
    2. Rafaela Filipa, isso não é verdade... racismo é basicamente uma raça se achar superior ou com mais direitos perante outra. Quem sofreu mais com isso é relativo, não foram apenas os africanos, por exemplo os judeus iam sendo exterminados só por era judeus em pleno seculo XX e antes disso já tinha acontecido o mesmo, na europa durante a antiguidade houve muito escravos europeus povos dominados etc.. ciganos também... o primeira civilização a usar escravos foi o Egipto, mas na america pré columbiana , já os indios usavam escravos, e os orientais. A escravatura foi a parte mais cruel da Humanidade pois foi praticada por todos os povos, é uma reação primitiva de quem tem mais poder exercer esse poder sobre outros em proveito próprio.

      Eliminar
  6. Eu não vi a reportagem, mas concordo totalmente contigo! Há racismo em Portugal e muitos tentam negar-lo.
    Excelente post! Adoro os teus posts de opinião!!
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  7. Estou chocada. Na minha familia tem um tio que é preconceituoso e deixou isso em evidencia quando minha prima começou a namorar um negro. Aqui no Brasil o preconceito e bem evidente.

    ResponderEliminar
  8. Excelente post! Nunca tinha visto nenhum/a português/a a falar da falta de representatividade por cá (pelo tumblr, são inumeras as pessoas que evidenciam isto), e acho que é preciso ser falado e é preciso educar as pessoas. Eu enquanto criança só tive barbies (loiras) e bonecas brancas, tive apenas uma boneca que era da minha mãe que era negra. Eu só aprendi que a representatividade importa, que é importante incluir negros e indianos e indios e asiáticos depois dos 20 anos! Porque me dediquei a aprender sobre o feminismo e igualdade social. É uma vergonha que na escolinha não ensinem às crianças a importância da inclusão, honestamente.
    Os meus próprios pais chegam a ser racistas sem perceber, mas sabem que à primeira "não te quero a namorar com um negro/pessoa de cor/whatever" iam dar-se mal na vida.
    Infelizmente, "racismo inverso" é um termo atirado a torto e a direito mas que para mim não tem peso nenhum. Posso ser discriminada, mal tratada por alguém de cor, não estou a dizer que não e já fui vitima de bullying por tanto negros como brancos na minha escola. Mas racismo para mim implica um sistema de opressão bastante complexo em que a pessoa de cor nunca se consegue sobrepor ao seu opressor. E infelizmente muita gente não percebe o problema que é :(
    Bem, alonguei-me ahah xx
    LIVRE SIRÈNEFB PAGEINSTAGRAMLATEST POST

    ResponderEliminar
  9. Olá. sou português e já colaborei varias vezes em projetos contra racismo e integração social

    Vi o programa da SIC. A partes das bonecas é uma copia do que se fez na america e com resultados iguais.. mas tem de se entender que as crianças estão sob pressão ao fazerem aquilo, o resultado é tendencioso, pois ao estar uma mulher estranha branca a perguntar a uma criança negra qual das bonecas é a má , isso baralha a criança e ela por humildade ou intimidação responde que a má é a boneca mais escura. O teste das bonecas é muito tendencioso e não é racismo embora pareça, no entanto em Portugal há o mito da beleza maxima que é a "loira de ohos azuis" ou seja uma característica que existe pouco em Portugal e por isso achamos tão giro... mas na realidade não é assim, há morenas lindíssimas, há negras muito bonitas, mulatas também e por aí fora, a beleza não tem cor, uma loura pode ser bonita ou feia da mesma forma que uma africana pode ser bonita ou feia.

    Sobre a representação em Portugal é onde acontece mais, há na politica a Governar uma Ministra Angolana que é a único caso na europa a Governar mesmo! há na moda, e muito na musica, e novelas há com novelas africanas e agora vai sair uma feita em São Tomé.
    Nos telejornais como há a RTP Africa esse canal canalizou algumas jornalistas afro portuguesas , mas os canais de TV portugueses deviam ter alguém a apresentar afroportugues sem duvida.

    Sobre o NBC ele falou que há racismo pontual e sempre vai haver... mas racismo de valores e direito isso não existe o que é bom e por incrível coisa rara no mundo. Sobre alguém conhecer namoradas/os é sempre complicado porque é sempre um motivo de aceitação, já vi muita gente não gostar dos namorados e eram brancos , tinho uma prima casado com um cabo-verdiano mulato e todas as criticas eram boas, que ele era uma excelente pessoa, simpático, trabalhador etc...

    Na escola também há os casos dos gozos, quem é de pele escura é o preto, depois há o gordo, o pitosga, o marreco, o de dentes grandes, etc... ou seja todas as crianças tem um nome de acordo com uma característica física é cruel e eu sofri com isso pois em vez de ser chamado pelo nome era chamado por outra coisa que não gostava. Esta situação não se resume ao africano o que disse o NBC é verdade.

    Por ultimo acho que os africanos devem estudar e se valorizar mais, se integrarem e serem simpáticos e as oportunidades virão , na empresa onde trabalho há 2 africanos licenciados, isto faz mudar a opinião de muita gente que durante anos africanos eram só nas obras nos bairros sociais e a "partirem comboios" eu como português gosto imenso de ver os afro-portugueses bem evoluído e integrados na sociedade portuguesa.

    A ti tenho de te dar os parabéns, és muito bonita , escreves bem, és inteligente e espero que tenhas sucesso, se fosse mais novo não teria problemas nenhum em namorar contigo e os meus pais teriam e iam aceitar , obviamente eheheh

    Deixo-te aqui um vídeo da Moda Lisboa

    bjs

    https://www.youtube.com/watch?v=R1wdyT4RlsU

    ResponderEliminar
  10. Pra mim, racismo é coisa de gente primitiva, nem dou confiança. Sinto um misto de pena e nojo pela mentalidade medieval. Ridículo que isso ainda aconteça.
    www.soseflor.com

    ResponderEliminar
  11. Fico feliz em saber que finalmente alguém consegue enxergar que racismo inverso existe, aliás não gosto de usar o conceito "racismo inverso" pois racismo é racismo, independente da cor de quem pratica e de quem sofre.

    Sobre a questão de representatividade, eu não iria comentar, porém acho necessário fazer vocês pensarem sobre o assunto, NO MERCADO existe a lei de oferta e demanda, é fabricado e colocado à venda aquilo que se procura, se não há procura por bonecas negras o mercado não a produz, porque não vende, e se não vende é uma produção que vai gerar prejuízo, lei básica da matemática! Não posso dizer "isso é injusto e não deveria ser assim" porque o mercado nos atende, se não queremos aquele produto o que podemos fazer? Para que se tenha mais representatividade negra em bonecas (seu exemplo) é preciso que negros comprem mais, simples, não só negros, mas à quem interessar! Aqui no Brasil vejo muita reclamação do gênero e pouca ação, oras, comprem que o mercado irá faze-lo, é regra, não tem o que fazer.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  14. Eu sou negra e brasileira aqui no Brasil não é diferente de seu texto.
    O pior é o negro racista🙈

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...