12/08/2015

Chega de fiu fiu!


Há uns dias desabafei no Instagram do blog (@diariodeumafricana, sigam que é de graça, rsrs), mas achei que devia trazer este tema para o blog.

Raparigas, digam-me: quantas vezes vocês já foram assediadas no meio da rua? Quantas vezes foram obrigadas a ouvir frases constrangedoras, assobios e olhares demorados e nojentos por parte de homens que têm idade para ser nossos pais e avós (e às vezes nem é preciso ser muito mais velho, só o fato de nos abordarem de tal maneira já é revoltante)? Eu pergunto-me: acharão eles que isso nos sobe o ego ou...??


Eu infelizmente, sofro com isto quase todos os dias. Ando muito a pé sozinha de um lado para o outro, e por isso não me escapo. Não vou mentir, eu fico com medo. Medo que qualquer dia alguém passe das frases sem noção e dos assobios! Se bem que também já não faltou muito, não fosse eu, por sorte, estar num local cheio de gente.

Isto que eu vos vou contar já se passou há alguns meses, e sinceramente já me tinha esquecido, mas a memória resolveu pregar-me uma partida.

Então estava eu muito bem a ir para a escola com os meus amigos (2 raparigas e 1 rapaz). Subíamos as escadas de saída da estação de comboios, quando um homem passa por nós, e como é óbvio começa com aqueles comentários nojentos e desnecessários. Eu ignorei, nem quis saber se aquelas bocas eram para mim. 

E acham que ele ficou por ali? Não, amigos. O homem teve o descaramento de me apalpar o rabo. Isto tudo numa fração de segundos. Eu fiquei sem reação. Gelei completamente. Virei-me para o homem, a tremer de nervosismo e mandei-o para a **** que o pariu (eu sei que a mulher não deve ter culpa nenhuma do cancrozinho que trouxe ao mundo, mas eu estava demasiado nervosa) mais uns quantos palavrões. 

O idiota olhava para mim a rir-se, disse umas coisas pouco perceptíveis (e ainda bem que eu não ouvi) e lá acabou por se ir embora. Arrependo-me tanto de não o ter esbofeteado, mas pergunto-me se isso não teria piorado as coisas. E vocês perguntam-se, então e o teu amigo, não reagiu? Olhem, não. Aliás, estava imensa gente na estação e ninguém reagiu, só olhavam e olhavam... Mas se querem que vos diga, eu nem o censuro. Todos nós ficámos sem reação perante aquela situação. Eu fiquei super mal o resto do dia, mal consegui comer e dormir, e tive de fazer um esforço enorme para não desatar a chorar na escola. Foi horrível, foi um dos piores momentos da minha vida, então imaginem o quão danificada fica a mente de uma rapariga que é mesmo violada...



Sabem o que eu acho mais engraçado? É quando eu explico estas situações a alguém e dizem-me "olha, andasses mais tapada", "para a próxima vestes umas calças", se não queres ser incomodada veste um saco de batatas", "então olha, não saias de casa!" Ahn??? Primeiro de tudo, eu nem uso decotes, raramente uso calções, saias e vestidos, mas E SE USASSE? Ah, espera, eu é que sou a culpada?  Eu devo sentir-me intimidada, oprimida?? Eu é que estou errada? Eu chego a trocar de roupa, ou a fazer um caminho mais longo só para evitar ter de ouvir mais um comentário. Até que ponto isto vai influenciar a minha vida? Qualquer dia dou em maluca.

A sociedade ensina as raparigas de que não se devem vestir assim e assado para evitarem estas situações infelizes, ao invés de ensinarem os rapazes de que este tipo de abordagens não é correto, que violação não é correta, não tem desculpa possível, e não é culpa da vítima! Eu não ando com um "olhem, saltem-me em cima!" escrito na testa, ok??? Eu não me sinto feliz quando me assobiam nas ruas, eu NÃO sou nenhum objeto sexual!

A Olga do blog Think Olga, criou um movimento chamado "Chega de fiu fiu" (cliquem para saber mais sobre, porque realmente vale a pena). Eu estive a ler os depoimentos de várias raparigas, e juro-vos que algumas me deixaram à beira de lágrimas. É simplesmente triste ser-se sujeita a este tipo de situações, quer seja uma vez, quer seja constantemente. Há que pôr um fim a isto.

Por isso meninas, tal como a Valérie do canal Mau Humor diz: Não baixem a cabeça quando ouvem estas barbaridades, REAJAM (quando tiverem a certeza de que não correrão perigos nenhuns, é claro!) Mostrem-lhes que o que eles fazem não está certo, que incomoda... porque sempre que nos limitarmos a ignorar, eles vão continuar a fazer mais e pior, achando que é uma coisa perfeitamente normal, e que as pessoas devem simplesmente aceitar e pronto. Vejam o vídeo da Val, pois ela deu algumas dicas de possíveis respostas a dar nessas situações, já para não dizer que ela só disse verdades!

Leiam também o post da Karla, do blog Hey Cute.

***

P.S.: Estou a fazer parte de um novo projeto! Vou começar a escrever semanalmente, juntamente com mais 2 pessoas, no mais recente blog sem nome... Incelebratus Blog! Fiquem atentos, porque vem aí muita coisa interessante! Ah, estamos à procura de colaboradores, portanto se acham que têm disponibilidade e vontade de fazer parte da equipa, entrem em contato comigo!

xoxo


20 comentários :

  1. Não sou o público-alvo deste tipo de comportamento mas já o presenciei inúmeras vezes com amigas e até namorada. Enquanto homem não consigo compreender o que leva certos indivíduos desta espécie a assobiar, mandar piropos e tecer comentários grotescos a mulheres na rua. É que a maior parte nem é esquisita, vai tudo, seja alta, baixa, gorda, magra, bonita ou feia. Andam assim tão desesperados? A profissão mais antiga do mundo existe precisamente para isso, ora! É terrível para quem são direccionados e para quem está a acompanhar, por se sentir impotente. Se mandar vir, provavelmente acabo estendido no chão e revolta-me ainda mais.

    Era o que faltava agora as raparigas mudarem as suas maneiras de vestir por "estarem a pedi-las". Até podia estar nua! Se um homem for bem formado nunca iria tirar proveito de outra pessoa, ponto final.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que a mim não me afeta assim muito o que dizem (mas é o que dizem, assim, ao longe...), mas sinceramente, acho que é só assim porque nunca me aconteceu nenhuma situação como a tua, por exemplo. Sempre que passo na rua e ouço esse tipo de coisas, finjo que não é para mim e acelero o passo, mas confesso que em muitas situações fico com medo. Chegam ao cumulo de fazer esses comentários até quando estou com o meu namorado, estamos de mãos dadas na rua (logo as pessoas não vou pensar que é um amigo qualquer) e mesmo assim fazem esse tipo de comentários. Claro que é muito mais raro, mas mesmo assim é ridículo e o que é que ele vai fazer? Refilar para se pegarem à pancada? Não serve de nada e só ia ser pior. E depois ele fica mesmo chateado por se sentir impotente, tal como o Ricardo falou.

      Beijinhos,
      Catarina Gomes | http://cenasdumaraparigacomplicada.com/

      Eliminar
    2. É né Ricardo? >< é ridículo usarem como desculpa "ah, mas elas põem-se a jeito assim vestidas" se forem homens com maturidade e consciência não teriam uma mentalidade tão pobre -.-

      Eliminar
    3. A mim incomoda-me imenso Catarina, uns dias mais que outros, mas incomoda-me sempre xD
      É de se ficar chateado, quando não podemos fazer nada perante estas situações :( enfim, as pessoas não têm noção da estupidez..

      Eliminar
  2. Concordo plenamente Sandra! Eu passo na rua e os homens mais velhos ficam a olhar-me de maneiras... O meu pai não me deixa sair com ele de calções por causa desta ***** e eu fico cheia de calor mas sei que é o melhor, por isso... CHEGA DE FIUFIU!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu pai também tem dessas comigo D:, mas no fundo até o compreendo um bocadinho xD

      Eliminar
  3. Não imaginas o quanto isto me enfurece, isso e aqueles homens de meia idade nas redes sociais a enviar pedidos de amizade e a comentar fotos de raparigas novas, usando palavras que um rapaz com cerca de 14/15 usa para "se atirar a uma rapariga", isso é algo que me anda a preocupar muito, tenho bastante pavor a essas cenas

    Como sempre optimos temas no teu blog!
    Beijocas!

    http://theshellblog.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essas dos velhos nas redes sociais nunca me aconteceu, e espero que nunca venha a acontecer! Mas que desesperados, como o Ricardo disse aí em cima, as prostitutas servem pra alguma coisa, fogo -.-

      Eliminar
  4. Adorei o teu post! Achei que retratou bem o que se passa na nossa sociedade, é bastante incomodativo quando estamos sozinhas na rua e passa um homem e assobia ou manda uma boquinha, já se passou comigo eu estar numa paragem de autocarro e nesse dia estava um calor dos infernos e óbvio que nesse dia vesti uns calções super normais são de cinta subida mas tapa tudo o que tem de tapar e um homem que estava ao meu lado não parava de olhar para mim de cima a abaixo e quando eu olhava para ele, o homem mesmo à descarada a olhar para mim....fiquei super incomodada e tive de levar com os seus olhares a viagem toda, entretanto ele lá saiu e eu finalmente tive sossego :/

    Beijinhos,

    Sara Sequeira

    http://lovingthingsbysaraa.blogspot.fr/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já não se pode sair de calções e outras roupas mais curtas à rua tranquilas, vamos ser sempre sujeitas a isto :((

      Eliminar
  5. Isso me deixa tão triste, a todas nós, né? Quando será que isso irá acabar? :(

    tresazero.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  6. Falou tudo. Des de quando roupa diz me assediei? Eu posso ate sair nua de casa que isso nao da o direito das pessoas me violarem.
    Eu nao sei se tu ja ouviu falar disso, mas tem um blog que ensina como atacar mulheres e as violarem, e pior pedem que violação seja algo legal e que tenha apoio para os violadores, isso não da revolta? Quer dizer so porque sou mulher, eu posso ser violada, e que eu nao tenho voz? Mas infelizmente essa e a nossa sociedade, e que ensina que a culpa de uma mulher ser violada e dela.
    http://aishiteruemcontos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E cabe a nós mulheres mudar isso! Porque não somos nenhum objeto, não somos nenhum brinquedo! Não podemos deixar que toda essa opressão e mentalidade retrógrada nos influencie :x

      Eliminar
  7. Gostei muito do post! Achei muito bem abordares este tema porque é algo que muitas de nós sabemos o que é bastante bem, e nenhuma de nós gosta de certeza!
    Eu já fui abordada no meio da rua, numa rua normalíssima mas onde não passa muita gente, dentro da minha vila, por dois homens entre os 20-30 anos, foi uma situação horrorosa, fiquei completamente assustada, mas fiz-me de forte e tentei não o demonstrar. Pareceu-me a mim que os homens estavam a distribuir papeis pelas caixas de correio das casas ali perto. Um deles que ia mais à frente que o outro, enquanto eu ia a passar meteu-se à minha frente e começou me a pedir um beijo! Começou a virar a cara para que eu o "cumprimentasse", eu estúpida dei-lhe resposta, disse que não o ia cumprimentar porque não o conhecia de lado nenhum mas ele insistia para que eu o fizesse, mas eu não fiz. Não quis demonstrar medo nem quis desatar a correr com medo que viessem atrás de mim para além de que atrás dele vinham mais dois a uns metros de onde estávamos. O segundo começou a meter-se a dizer que o outro era um "safado" e a rir-se e a rir-se! O homem que estava à minha frente também se ria e teve a lata de me perguntar se eu estava com medo! Eu muito forte respondi que não(mas estava completamente assustada), e ele dizia que parecia e que eu até estava corada e etc. Não lhe dei mais conversa, comecei a olhar para todos os lados para ver se via alguém e atravessei para o outro lado da estrada o mais rápido que pude... Felizmente não vieram atrás de mim, mas eu fiquei realmente assustada! Esta situação foi a pior que já tive mas também já me aconteceu estar no meio de uma comemoração no meio de Lisboa e de alguém que eu não consegui ver bem, me ter apalpado o rabo com todo o descaramento, não consegui ver bem quem tinha sido, tal era a quantidade de gente ali.
    Agora pergunto-me, qual é a piada disto? Qual é a piada de assustar os outros ou de se meterem com raparigas no meio da rua?? Este tipo de gente mete-me nojo sinceramente. Só lamento por todas as mulheres nestas situações...

    ResponderEliminar
  8. Desde que me mudei para Viseu tenho sido alvo dessas abordagens muito constantemente e são completamente nojentas. Não se porquê nunca gostei de passar sozinha perto de um grupo de homens e sempre preferi ir dar uma volta maior em vez de passar por eles, mas em Viseu as coisas são diferentes. Apesar de não andar muitas vezes sozinha quando é preciso faço-o sem problema nenhum e é rara a vez em que não ouço comentários nojentos tipo "Aii só de olhar" "Apaixonei-me" "Olha só para esta" é simplesmente NOJENTO mas felizmente nunca me aconteceu de ser apalpada e se um dia isso acontecer não faço a menor ideia de como vou reagir mas mais cedo ou mais tarde vou desatar a chorar...
    Adorei o teu post!

    Um beijo,
    Ana - autora de Linha d'Olho http://linhadolho.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Eu ADORO o blog da Olga e identifico-me sempre imenso com o que ela escreve. O movimento Chega de Fiu Fiu é dos mais incríveis que eu já conheci desse género. O teu post está realmente bom, Sandra.

    http://lemaodoce.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Já tinha lido este post há imenso tempo, mas Às ezes não consigo comentar porque não me aparece a caixa de comentários, mas penso que agora já esteja resolvido :D
    Tenho vindo constantemente a aperceber-me que já não ando confortável nas ruas. Há sempre um velho rebarbado a chamar de "grossa", ou X carros a apitar. Não vou dizer que não podem olhar, cada um olha para onde quer mas só pedia que fossem discretos e bem-educados. Mas não. Têm que vir os broeiros com piropos foleiros. É super desconcertante.
    Ainda bem que abordaste este tema no teu post, pena que quem o deveria ler não o faça. Beijo!

    ResponderEliminar
  11. Países latinos os homens são mais grossos e tem um fogo do inferno, igualmente as mulheres latinas, também são esquentadas, nervosas e tal, falo isso porque eu sou latina!

    Eu não ligo pra psiu, fiu fiu e etc, primeiro porque durante a história da humanidade as pessoas sempre foram reprimidas a falar o que pensa, e muita gente morreu para que hoje nós possamos ter a liberdade de expressão, é direito deles falarem mas não encostarem na gente, assim como é direito nosso gostar ou responder xingando esses homens.

    A minha opinião sobre o comportamente deles é a seguinte: Eu acho ridiculo, odeio homem mangina (mangina é uma expressão brasileira que damos a homens que se rastejam por mulheres e só sabem lamber o chão que pisamos, são dependentes de mulher e são fracassados) homem que fica mexendo com mulher na rua é um fracassado, não tem moral, não tem dignidade própria, porque eu devo ficar com raiva dele? haha eu tenho pena! Pena da falta de educação, isso sim, e eu não vou ser uma drama queen por causa de psiu na rua, quando to andando na rua eu to pensando em mil coisas eu nem reparo muito no mundo ao meu redor pra te falar a verdade.

    ResponderEliminar
  12. Eita, já vi que você é das minhas!
    Concordo com tudo o que foi dito no seu post, acho que toda mulher sabe o que é se sentir apreensiva, com medo me um homem na rua, por causa do jeito que ele olhou. Homens pensam que são donos de nossas vidas e de nossos corpos, mas não são! E se o mundo ensina isso a eles, vamos mostrar que somos livres para ir onde quisermos, como quisermos, e usando a roupa que quisermos. Chega de fiu fiu!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...