04/05/2016

Não interessa de onde vens...

... mas sim para onde vais.


Não posso falar por vocês, mas posso falar sobre mim e aquilo em que acredito. Acho fundamental uma pessoa reconhecer as suas origens e dar a devida importância as suas raízes. É algo de que nos devemos orgulhar, porque independentemente de quem somos ou para onde formos é de lá que vimos, é algo que nunca ninguém nos poderá tirar.

É algo que faz parte da nossa identidade enquanto pessoa. Foi justamente este motivo que me levou a querer fazer parte do projeto da Sandra. Não é difícil para uma pessoa, quando olha para mim, perceber que eu sou de descendência africana. Nunca estive em África. Não conheço nenhum dos meus familiares que tenha nascido e sido criado lá. E ainda assim orgulho me das minhas raízes porque são elas que não me deixam esquecer de quem eu sou. 

Negar as nossas raízes é como negar os nossos pais e todo o amor com que nos criaram. É ter vergonha de quem somos e em parte de tudo o que conquistamos, porque querendo ou não a nossa origem levou-nos aos locais onde estamos hoje.

E reconhecer as vossas raízes não é o mesmo que dizer que são iguais as pessoas desse sítio. Uma coisa não implica a outra. Sempre tive orgulho em dizer que a minha avó materna nasceu em Moçambique e viveu lá até vir com o meu avô para Portugal. Ela, inclusive, fazia parte de uma tribo, dessas que acreditam em vários deuses, curandeiros e criaturas mágicas, e isso não têm nada haver com quem eu sou, ou com quem quero ser. Mas faz parte de mim. Faz parte da minha história. Faz parte da minha família.

O meu nome é Ana Cristina, autora do Woah Arabella e no dia 4 de cada mês escrevo um post para o blog da Sandra. Encontra outros posts que eu escrevi, aqui e descobre mais sobre mim, aqui.

4 comentários :

  1. Eu posso dizer que não sou 100% portuguesa,pois a minha mãe não o é,apenas é descendente de portugueses e isso nunca interferiu com a minha vida,muito pelo contrário fui educada,provavelmente,de uma forma diferente mas eu gosto e orgulho-me da pessoa que me tornei e não sei se foi por essa educação que tive ou não que já me disseram que parecia ser matura para a minha idade e isso faz me ter orgulho dos meus pais por terem-me criado assim!
    Não devemos ter vergonha nenhuma das nossas origens,isso é que nos faz ser quem somos atualmente.
    Beijinhos
    Cantinho da tequis
    Facebook Cantinho da tequis

    ResponderEliminar
  2. Que lindo texto! Aceitar quem somos e aceitar nossa miscigenação, é se conhecer. Eu não sei muita coisa sobre mim, mas agora, pretendo saber mais sobre minhas origens e sobre minha família.

    Um grande beijo!

    garotaveneta.com

    ResponderEliminar
  3. Olá. sou português mas meu avô era espanhol da galiza... gosto dessa vertente cultural também, no entanto tenho outros familiares que vieram de africa. No teu caso obviamente que as tuas raízes são africanas, embora tu não o sejas, digamos que és uma portuguesa de raízes africana, ou uma afro-portuguesa. Seja como for escreves bem , és muito bonita e inteligente, desejo o melhor para ti.

    ResponderEliminar
  4. Gostei! muito bem!

    adorei o teu blog, e estou a seguir! dá um saltinho no meu e segue-me também, se quiseres! gostava muito que mantivéssemos o contacto ;)
    beijinho
    the-not-so-girlygirl.blogspot.com

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...