03/08/2014

Vida de muçulmana: A cultura, o Ramadão, dúvidas


Se lerem a minha pequena descrição aqui ao lado na lateral direita, logo saberão que sou muçulmana. Confesso que nunca pensei em escrever sobre isto no blog, mas já que o blog é parte de mim, e como recebo sempre tantas perguntas sobre esse assunto, porque não falar?

Reuni uma série de perguntas e tópicos que achei pertinentes e respondi da forma mais clara possível, com base no que eu sei.

Alguma vez te descriminaram por seres muçulmana? 
Penso que não. À primeira vista as pessoas nunca sabem se sou muçulmana ou não, porque não uso trajes nem nada que se pareça. Talvez por isso nunca tenha sido descriminada.

Há algo com que não concordes na tua religião? Há algum ritual que não pratiques?

A desvalorização dos direitos da mulher e a pena de morte por situação que não são tão graves a esse ponto são situações que me incomodam. Por favor, estamos no século XXI, as mulheres não servem só para casar, cuidar da casa, dos filhos e resguardarem-se que nem freiras. As mulheres também podem estudar, ter um emprego, conduzir e vestir-se livremente tal como os homens. Tenho pena que em países como o Paquistão ou a Arábia Saudita não vejam as coisas dessa maneira.
Sou muçulmana mas não sou praticante. Não rezo como um verdadeiro muçulmano reza, não sei falar/escrever árabe e até hoje nunca cumpri 1 mês inteiro de Ramadão. Mas pretendo fazê-lo. Bom, talvez.

Porque existe o Ramadão? Como é? É difícil?
O mês de Ramadão é um mês sagrado. É como os cristãos aqui em Portugal quando vão a Fátima, não sei como é nos outros países.
Serve para pagarmos todos os pecados, e é uma espécie de auto-sacrifício, para que os nossos maiores desejos se tornem reais.
A rotina é sempre a mesma: só se pode comer antes e depois do pôr do Sol. Segundo o calendário, de 3 em 3 dias diminui um minuto (ex: hoje o jejum terminará às 21:00, daqui a 3 dias, terminará às 20:59. Isto é um exemplo, o Ramadão acabou no passado dia 28/7). Crianças, grávidas, doentes e idosos não são obrigados a jejuar.

Entre esse período, não se pode comer rigorosamente nada, ingerir nenhum líquido, nem ter relações sexuais. É isso mesmo! Não é permitido dar a mais pequena lambidela em seja o que for comestível, caso contrário o ritual perde o efeito, mas só naquele dia. E olhem que já me aconteceu, no ano passado. Houve um dia em que decidi jejuar o dia inteiro. Mas distraí-me completamente enquanto dava de comer ao meu irmão e provei um bocadinho da comida. A minha mãe viu e riu-se "Bom agora já perdeu o efeito. Vai comer". Fiquei completamente pasmada. Pelo menos para mim é um pouco difícil, mas é tudo uma questão de hábito e um pouco de força de vontade. Segundo dizem, só é difícil nos primeiros dias. E deve ser, até porque conheço jovens bem mais novos que eu e que cumprem os 30 dias com a maior das facilidades.

Como lidar com o Ramadão na época escolar?
Esta pergunta é muito boa, porque eu não sei. Se alguma vez o mês de Ramadão calhou em período de aulas, eu devia ser muito pequena e não devia ter noção disso. Mas não imagino o que é ir para a escola sem comer, quando que os colegas o podem fazer à vontade. É uma tortura! E nem imagino como se concentram nas aulas. Acredito que seja tudo uma questão psicológica, uma questão de treino.

Que alimentos não podem estar na mesa de um muçulmano?
Carne de porco e bebidas alcoólicas, estão completamente fora da lista de alimentos que podem aparecer na mesa de um muçulmano. Também não é permitido fumar e usar drogas. "E porque é que não podem comer carne de porco Sandra?"
Bem, pelo que os meus pais sempre me contam, reza a lenda que há muito tempo atrás (muuuuuuito mesmo) estava um grupo de muçulmanos no deserto, desesperadamente à procura de água, mas sem sucesso. E quem os ajuda? Sim, o porco! Ele é quem os guia até ao bebedouro. Como forma de agradecimento os muçulmanos prometeram jamais comer carne de porco. E é isso.

Como é morar num país onde a cultura é completamente diferente?
É normal. Hoje em dia vivo num país onde a variedade de culturas é imensa, e além disso o meu estilo de vida não é muito diferente das outras pessoas. O meu vestuário é semelhante ao de tantos outros, vou à escola, e tenho os passatempos/hobbies que todos os adolescentes comuns têm. Não há nada de muito diferente. É como eu disse no início: se eu não disser, dificilmente alguém saberá que sou muçulmana, talvez suspeitem pelo meu apelido.


O uso da burca: porque as mulheres escondem os cabelos e o rosto? Porque é que tu não o fazes?

Burca, niqab, hijab... entendam as diferenças entre eles aqui.
As mulheres usam-no porque não é permitido mostrarem as sua beleza aos homens, a não ser que esse homem seja o marido. É uma maneira de as manter a pureza e o respeito, algo assim.
Eu não uso porque vivo num país livre, o único sítio onde tenho que usar algum destes adornos é dentro da mesquita. Fora isso, não sou obrigada.

E para acabar tenho 3 livros ótimos para vos sugerir, peço que se informem um pouco mais sobre cada um e se possível, leiam!
"Eu sou Malala" de Malala Yousafzai, "A prisioneira do Teerão" de Marina Nemat, "Queimada vida" de Souad. Não são livros religiosos, atenção. Mas abordam histórias verídicas e marcantes, que valem muito a pena ler.

***
Espero que o post tenha sido esclarecedor e interessante! Acho que ficou assim, meio grande, mas espero sinceramente que tenha servido para alguma coisa. Se tiverem mais perguntas deixem nos comentários, se forem muitas faço outro post! Ou preferem em video? Vocês é que decidem!
Fiz-vos um texto de agradecimento aqui (Ultrapassei os 10.000 views \ooo). e não se esqueçam de responder à pesquisa de público aqui! Beijo grande :)



41 comentários :

  1. Acho a beleza das muçulmanas algo que chega a ser único de tão lindo que é. Não digo só da beleza física (os traços são inconfundíveis), mas das vestes também.
    Concordo com o fato da desvalorização da mulher em diversos aspectos e sou totalmente contra. Mas concordo com as vestes lindas e que preservam a pureza e a beleza.

    Beijos

    Laurinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois ahah, obrigada e volta sempre :)

      Eliminar
  2. Oi Sandra,
    Sua brasileira e acabei de descobrir o seu blog, esse post foi mto esclarecedor, conheço poucos muçulmanos e é sempre bom conhecer diferentes culturas.
    Na minha antiga escola eu tinha um amigo muçulmano que durante o período do Ramadão (sim, caia durante as aulas) ele saia mais cedo por causa do jejum.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que foi esclarecedor!
      Sério? Admiro esse teu colega pela força de vontade!
      Beijinhos :)

      Eliminar
  3. Gostei do post! esta esclarecedor e fiquei com outra visao sobre esta cultura que nao tinha tanto conhecimento :p

    http://foracutegirl.blogspot.pt/ :)

    beijinhos!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, era esse o meu objetivo! Obrigada :D

      Eliminar
  4. OMG que post perfeito, como já disse anteriormente amo seu blog e outra esse post me tirou grandes dúvidas, mas ainda tenho uma. Eu estudei no cursinho pré-vestibular que o ramadão/ramadã era uma época do ano em que se fazia jejum, mas meu professor disse que era durante o mês de Agosto, existe uma data específica ou muda a cada ano?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada *ooo*
      Boa pergunta! O mês de ramadão pode mudar a cada ano :))

      Eliminar
  5. Gostei muito de saber mais sobre essa cultura, esclareceu com certeza muitas das duvidas das pessoa.
    Beijos
    http://nomundodajale.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu espero que sim! Muito obrigada Jaqueline, volta sempre! :D

      Eliminar
  6. Sandra, fiquei tão feliz por você ter compartilhado um pouco da cultura e ter esclarecido algumas coisas, como também trazendo sua opinião sobre o fato de como a mulher ainda é desvalorizada, espero que um dia mude. Eu não sabia que você era Muçulmana, afinal é minha primeira vez por aqui se não me engano. Ah, eu não conseguiria ficar sem comer, tenho a imunidade bem ruim, então imagine se eu não me alimentar?! shash não ia dar certo.

    Traga mais postagens assim, é bem interessante!

    Blog: Like The Moon
    Página no Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz fiquei eu por teres gostado do post! É, de facto eu não pareço muçulmana, como referi no texto ahah. Eu calculo que se tu fosses muçulmana não era obrigada a jejuar devido a essa condição. Beijo grande :)

      Eliminar
  7. Oi!!
    Descobri seu blog por acaso e achei muito interessante conhecer sua cultura, principalmente para mim que nasci cristã, é mesmo muito diferente!!
    Um grande abraço!

    Daniela
    www.mamaeaprendiz.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Daniela, fico muitoooooo feliz por teres gostado! Sim realmente há algumas grendes diferenças entre o Islão e o Cristianismo. Obrigada e beijinhos :D

      Eliminar
  8. Sandra eu amei o seu post, eu ja li Princesa Sultana, conheci uma muçulmana e achava o máximo conversar com ela pois, tem muitas coisas que pensamos ser normal lá e não é bem assim.
    Lindo post
    bjs
    ** https://www.youtube.com/crisartigosfemininos **

    ** http://crisartigosfemininos.blogspot.com.br/ **

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Cris :D Nunca li a Princesa Sultana, mas já ouvi falar eheh. Beijo grande!

      Eliminar
  9. Adorei a ideia do post!
    Queimada viva foi um dos livros mais envolventes que já li. A história é triste e linda. Vale muito a pena ler.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Thais! Esse também foi um dos livros que mais me marcou sem qualquer dúvida!
      Beijos :))

      Eliminar
  10. adorei o post Sandra! sempre tive curiosidade sobre a cultura de vocês muçulmanos!
    faz mais posts assim, acho mt legal (:

    www.blogamorarosa.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom Grazi, a sério! Vou tentar fazer mais posts deste género. Beijo grande para ti :D

      Eliminar
  11. Fantástico, fiquei muito mais esclarecida! Nunca soube porque é que não comiam carne de porco, mas se é por esse motivo até fico enternecida, muito bem! =D Gostei imenso!

    By the way, o sorteio já está no ar, caso queiras participar =)
    http://cadernodaquadrada.blogspot.pt/2014/08/eis-o-tao-esperado-sorteio.html Está aqui!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahaha, mt obrigada Joaninha :D
      Uhul vou ver, obrigada!

      Eliminar
  12. Adorei o post, foi bastante esclarecedor, eu estou lendo um livro que fala um pouco dessa cultura e eu não entendia um pouco, e as pesquisas que eu fiz não foram muitos esclarecedoras, é muito melhor ler pelos olhos de uma blogueira. Obrigada por esclarecer minhas duvidas, esse post foi muito esperado por mim! :)
    http://corujasemasas.blogspot.com.br/
    Sou do brasil, haha
    Beijos! <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou muito feliz por este post esclarecer as vossas dúvidas, é muito gratificante para mim! Obrigada linda ^^
      Ps: Eu sei que és do Brasil, consigo distinguir pala forma de escrever. :D Bjosss

      Eliminar
  13. Sandrinha, o post esclarece várias dúvidas que todos deveriam saber. Há culturas e religiões diferentes no mundo inteiro, e todos devem respeitar a escolha de cada um. Super legal você postar sobre isso.

    Beijos,
    Ju.
    www.cadeomeubloquinho.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Ju! Muito obrigada :D, beijos!

      Eliminar
  14. Adorei o teu post ^^ um livro que também me esclareceu muito sobre a religião muçulmana é a Fúria Divina de José Rodrigues dos Santos, gosto imenso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigadaaaaa :D
      Nunca ouvi falar desse livro, mas agora fiquei curiosa!

      Eliminar
  15. Comecei a estudar este ano na aula de geografia essas questões de religião e amo esse matéria, seu post ficou ótimo <3 Me tirou até algumas duvidas, hahaha

    http://sublimecapital.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  16. Nossa, amei teu blog, super diferente e tirou dúvidas minhas, beijos.
    http://www.que-seja-diva.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  17. Muito interessante, é sempre bom ler a perspectiva das pessoas dentro de outras religiões.
    Eu fui baptizada, mas considero-me ateia.
    A religião foi criada pelo homem, é normal que tenha falhas, como as que referiste que te incomodam. A religião tem de evoluir a par com as mentalidades da sociedade.
    Eu comecei a questionar a religião exactamente a partir daí, desses regras que hoje já não fazem sentido. No meu caso, o que sempre me incomodou foi o facto de as mulheres não poderem rezar a missa (serem padres).
    Espero que as religiões evoluam nesse sentido, de se adaptarem aos tempos.
    Beijocas*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo Vanessa! A religião devia evoluir de acordo com a mentalidade social, porque realmente existem aspetos que hoje em dia já não se aplicam.
      Oxalá um dia isso aconteça não é?
      Beijinhos ^-^

      Eliminar
  18. Oi sandra! Eu sou brasileira e achei seu blog por acaso! Eu so queria corrigir umas coisinhas aq:
    eu tb sou muculmana e tb moro em um pais livre, mas optei por usar o hijab.
    O mês de Ramadan serve para sentirmos oq os que passam fome sentem, e muiitos medicos dizem q todos devveriam jejuar , pois linda todo os prgaos responsáveis pela digestao, alem de nos ajudar a ter mais paciência.
    E a carne de porco e probida porque ela traz muitas doencas, algumas podem levar a morte!
    Mas amei seu blog, e fantastico! Eu vou ver se compro os livros q vc indicou!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah e sobre mulheres n terem direito para nada: tenho muitas tias e primas q moram na Arabia Saudita, Quatar e outros paises arabes, e todas fizeram/ffazem/vao fazer faculdade! E todas trabalham/vao trabalhar! Muitas n trabalhao pq no Alcorao diz q é o dever do homem trazer comida e dinheiro para casa! E tb tem versiculos do Alcorao q diz q os homens e mulheres tem os msm direitos! Acho ate q mulher tem mais, pois quando ela se casa, o homem precisa dar dinheiro para ela gastar com oq ela quiser, e so quando Mohammed se tornou profeta que as mulheres tiveram direito a divórcio, escolaridade e etc!

      Eliminar
    2. Ah e sobre mulheres n terem direito para nada: tenho muitas tias e primas q moram na Arabia Saudita, Quatar e outros paises arabes, e todas fizeram/ffazem/vao fazer faculdade! E todas trabalham/vao trabalhar! Muitas n trabalhao pq no Alcorao diz q é o dever do homem trazer comida e dinheiro para casa! E tb tem versiculos do Alcorao q diz q os homens e mulheres tem os msm direitos! Acho ate q mulher tem mais, pois quando ela se casa, o homem precisa dar dinheiro para ela gastar com oq ela quiser, e so quando Mohammed se tornou profeta que as mulheres tiveram direito a divórcio, escolaridade e etc!

      Eliminar
    3. Naualinha, obrigada pelo esclarecimento!
      Eu já sabia dessa justificação para as mulheres serem de certa forma "desvalorizadas", mas o facto é que apesar de não concordar a 100% com o que está registado no Alcorão, o próprio Homem está sempre a distorcer os verdadeiros principios do Islão, e é isso que me incomoda :)
      Obrigada pelo teu comentário, beijinhos :D

      Eliminar
  19. A ttua lista de livros, eu gostava de acrescentar os seguintes:
    "A Jóia Afegã", de Malala Joya (essa mulher é uma insiração!)
    "O Despertar do Irão", de Shirin Ebadi (mais uma inspiração!)
    "Lua de Mel no Teerão", de Azadeh Moaveni
    e, já agora, embora seja um livro mais histórico que biográfico, "O Médio Oriente e o Ocidente: O Que Correu Mal?", do senhor Bernard Lewis.

    Li-os todinhos e recomendo-os todinhos. E tenho mais alguns na estante para ler. ;)

    ResponderEliminar
  20. Uau, que incrível! Adorei o seu post!
    Foi muito bom pra conhecer melhor algumas coisas da cultura muçulmana, porque nós aqui no Brasil somos cheios de preconceitos. Foi interessante ver também que você tem a liberdade de não seguir alguns preceitos com os quais não concorda.
    Dos livros que indicou, o único que conheço é o da Malala, mas não li ainda.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...